#FTTnoMercado: Aluno se destaca em processo seletivo da KPMG

23/04/21


O Matheus Theobaldino Teixeira é aluno do 10º Semestre de Engenharia de Controle e Automação da FTT e foi aprovado no processo seletivo de treinee da KPMG, uma das maiores empresas de prestação de serviços profissionais que integra o grupo de empresas chamadas de Big Four, as quatro maiores empresas multinacionais do setor!

Confira o nosso bate papo com ele e confira as ótimas dicas que ele tem sobre processo seletivos e mercado de trabalho.

Conte-nos um pouco sobre sua trajetória no mercado de trabalho até chegar na empresa que está atuando hoje!

Depois de mais de 5 negativas em entrevistas para estágio, finalmente consegui minha oportunidade. Comecei minha trajetória como estagiário de P&D na ACR Sistemas Industriais. Durante essa oportunidade pude viajar parte do Brasil e também para a Coréia do Sul a trabalho (ainda como estagiário) fazendo apresentações dos produtos que desenvolvíamos, bem como, acompanhamento técnico caso a venda fosse efetivada.

Após 1 ano e meio eu decidi sair pois queria novos desafios como efetivo em alguma outra área e acabei indo parar como analista de BI na empresa de um dos maiores empreendedores que já pude conhecer, Tallis Gomes, fundador da extinta Easy Taxi e atual CEO da Singu (empresa na qual trabalhei). Depois de 6 meses lá percebi que minha busca estava em uma área que unisse tanto o comercial quanto o técnico e a KPMG foi o lugar onde pude encontrar essa oportunidade.

Atualmente estou na divisão de Consulting, especificamente na área de IT M&A (Merge & Acquisitions).

Como foi participar processo seletivo? Tem alguma dica para os alunos da FTT?

Normalmente eu me preparo lendo sobre a empresa e seus feitos, a partir disso é possível entender o que a empresa valoriza em seus funcionários. A dica que eu dou é saber falar bem, se posicionar em meio ao seu discurso.

Porque você acha que foi selecionado neste processo seletivo? Qual o seu diferencial?

Eu diria duas habilidades: fluência no inglês e inteligência emocional. Hoje em dia somente 5% dos brasileiros falam inglês, com isso você já passa na frente de 90% dos candidatos. A inteligência emocional é importante para saber lidar com as situações (adversas ou não) durante a entrevistas, isso é um grande diferencial, pois não é o melhor tecnicamente que passa, e sim o que tem uma proximidade com a cultura da empresa (isso serve para boa parte dos processos).

Fale um pouco sobre os seus desafios que o esperam nesta nova fase.

O grande desafio é se tornar um generalista sem perder o foco. Dentro da área que estou, competências como boa gestão, liderança, senso de protagonismo, bem como as competências técnicas, são importantes.

Portanto é vital saber no que focar, quando e como, para não dissipar energia em coisas que não vão te gerar resultado.

Como busca se desenvolver na carreira profissional?

Primeiro é necessário identificar a área ou no mínimo o que você gostaria de ter como trabalho. Assim você consegue começar a entender quais hard skills você precisa ter. Então eu construo um learning path com cursos e livros que preciso ler para evoluir tecnicamente e pessoalmente.

Por exemplo, atualmente eu tenho lido sobre negociação e como comunicar dados de maneira efetiva através de apresentações. Fico focado nisso até entender que estou em um nível satisfatório.

Você encontrou alguma dificuldade nos processos pelos quais passou? O que fez para superar isso?

Encontrei algumas, mas a maior delas residia em não conseguir comunicar aos entrevistadores o que eu tinha de melhor. Então comecei a fazer muitos processos, assim comecei a identificar, em cada dinâmica, como mostrar o que eu tinha de melhor.

Como sua formação acadêmica na FTT contribui para seu desempenho profissional?

Contribuiu significativamente! A formação de engenharia na FTT me proporcionou desenvolver meu raciocínio analítico/ lógico, além de me munir de muito conhecimento técnico. Por si só essas habilidades são demasiadamente importantes para qualquer área, pois somente através de dados é possível fazer inferências assertivas, que não sejam um sucesso por mera casualidade.

Qual o seu conselho para o aluno que está buscando uma oportunidade no mercado?

Para processos de estágio/junior é importante você focar muito em como comunicar de maneira efetiva e ter inglês fluente. Com essas duas habilidades você com certeza vai se destacar. Habilidades técnicas são importantes também, porém nesse primeiro momento os candidatos estão mais ou menos no mesmo nível técnico e semestre na faculdade. Logo seu diferencial vai ser no speech e habilidades extra curso!



Copyright © Faculdade Engenheiro Salvador Arena | Gerenciamento de Cookies